Ir para conteúdo



Foto

Blackberry Curve 8520


  • Por favor, faça o login para responder
Não há respostas para este tópico

#1

Filipe™

    Membro Platinum PluS

  • Membros
  • PipPipPipPipPipPipPip
  • 5.592 posts

Postado 16 Out 2009 - 16:37




Para quem está a fim de um smartphone com teclado decente e bom sistema de e-mails, mas não tem bala para investir num BlackBerry completaço, o Curve 8520 pode ser uma opção interessante. É que a RIM limou alguns recursos de seus aparelhos topo de linha, como 3G e GPS, e dessa brincadeira nasceu um modelo compacto com boas ferramentas de produtividade – tudo na medida para quem está querendo gastar, no máximo, 499 reais, assinando o plano de 50 minutos da Vivo, com pacote de dados ilimitado.



O novo aparelho é um primo pobre do Curve 8900. Em vez de metal resistente, ele tem na carcaça plástico e borracha. Pegando o celular na mão, dá para ver que o material não é dos melhores, pois a tampa da bateria fica rangendo enquanto você digita. Outra diferença em relação ao irmão maior está na tela com resolução mais baixa (tem 320 por 240 pixels, em vez de 480 por 360 pixels). O resultado é um granulado aqui e outro ali, mas nada horrível de se ver. A câmera também está mais fraquinha, com 2 megapixels.



O telefone cabe confortavelmente no bolso, com 1,3 centímetro de espessura e peso de 105 gramas. Seu teclado tem botões rígidos e acabamento simples, mas é bom de se digitar. As teclas só poderiam ser um pouco mais macias. No hardware, a maior novidade está no trackpad, que entra no lugar do tradicional trackball. A sensibilidade dele é muito boa e permite navegação rápida pelos menus e páginas da internet. Para um BlackBerry, também é coisa nova o conjunto de botões de atalho para comandos multimídia localizado na parte de cima do aparelho. Existe ainda uma conexão P2 para fones.



Smartphone trabalhador







Embora seja um aparelho interessante para quem também pensa em diversão, o Curve 8520 arrebenta mesmo é na produtividade, como todos os modelos da linha. Ele vem com o famoso sistema de e-mails BlackBerry – basta digitar endereço e senha que as configurações vêm automaticamente. As mensagens ficam divididas em pastas como no Outlook. Para uso corporativo, é uma maravilha, já que ele consegue sincronizar com Microsoft Exchange, IBM Lotus Domino ou Novell GroupWise.



O pacote de ferramentas é exatamente o mesmo encontrado no BlackBerry Bold, o aparelho topo de linha da marca. Inclui até a versão Standard do Documents to Go, que permite edição de arquivos do Office (porém, não é possível criar arquivos). Os programas mais importantes para mensagens instantâneas e redes sociais também já vêm instalados: Facebook, Flickr, Gtalk e Windows Live Messenger fazem parte do pacote.



Coisas mais simples como páginas de contatos e calendário funcionam dentro do esperado. Têm um visual sem frescuras e vão direto ao ponto, com acesso fácil a qualquer opção com dois ou três cliques. O mapa também é competente. Trabalha como o Google Maps, apenas mostrando a localização buscada, mas sem dar indicações curva-a-curva, enquanto você dirige. Afinal, o aparelho não tem GPS. O programa se integra aos contatos: se eles tiverem um endereço cadastrado, basta selecionar a pessoa numa lista para encontrar o local.



Programas na loja, só se for de graça







Finalmente disponível num aparelho vendido no Brasil, a loja de aplicativos BlackBerry App World funciona muito bem. Mas permite somente baixar programas gratuitos, ao menos por enquanto. É que a RIM ainda não definiu a forma pela qual o usuário pagará pelo software baixado – e nem tem previsão de quando o recurso estará disponível integralmente. Ferramentas para acesso fácil a redes sociais como Facebook e MySpace já estão por lá, assim como alguns serviços para receber notícias de portais por RSS.



O que dá para ver é que a interface da loja está muito bem resolvida. É possível acessar o ranking de programas mais bem avaliados e fazer buscas por categorias e palavras-chave. Antes de baixar, o usuário pode ler comentários de outras pessoas a respeito do aplicativo e ver screenshots que demonstram seu funcionamento. Depois de usar o programa, quem tiver boa vontade pode voltar ao App World e recomendá-lo.



Um problema sério do Curve 8520 é a impossibilidade de instalar programas no cartão de memória de 2 GB. Todos os aplicativos devem ficar na memória interna de 256 MB, o que vai deixando o aparelho bem lento com o passar do tempo. Com meia dúzia de aplicativos instalados e quatro rodando ao mesmo tempo, já dá para ficar nervoso ao navegar na web, por exemplo. Apesar de ter a mesma configuração interna do Curve 8900, nossa percepção é a de que o aparelho está mais lerdo na maioria das atividades.



Só vale a pena com dados







O Curve 8520 chama a atenção por uma coisa que às vezes a gente até esquece de comentar: a qualidade das chamadas de voz. Mesmo fazendo ligações de um ambiente barulhento, conseguimos ouvir a pessoa do outro lado com voz clara, alta e sem ruídos. Só a bateria deixou a desejar durante as ligações. Ela durou apenas 279 minutos, em nossos testes, enquanto o concorrente Motorola Q11 alcançou 671 minutos.



Fonte: Info

Arquivo(s) anexado(s)